Olhares no Largo

Mais OLHARES, mais oportunidades de (re) ver os nossos FILMES…
nas primeiras quintas do mês às 19h… no Café do Largo,
no Intendente.
Entrada livre. Os filmes estão legendados em português e inglês.
More OLHARES, more chances to watch our FILMS…
First Thursdays of the month at 7pm… at Café do Largo, Intendente. 
Free attendance. Films subtitled in English and Portuguese

 • QUINTA, 7 de Junho, 19h | June, 7th 7pm
SMILE  • 
com o argumento de Estefanía García e Fernando Pozo e realizado por Fernando Pozo
Espanha | doc | 2016 | 64′

Raúl, um adolescente com paralisia cerebral expressa as suas inquietações e pensamentos através de um mimo. David, um menino com autismo, gosta de aviões e tem uma obsessão por folhetos publicitários. Retrato de duas crianças muito especiais e da sua relação com os pais.

Raúl, a teenager with cerebral palsy shows his concerns and thoughts through a mime. David, a boy with autism who loves planes and is always carrying leaflets. Portrait of two special children and their relationship with their parents.

EVENTO NO FACEBOOK

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Filmes que já passaram no LARGO | Previous sessions. Quer mostrar algum destes filmes noutro local? Contacte-nos

• QUINTA, 3 de Maio, 19h
LES MESSAGERS  • Prémio do Júri – Melhor Longa-Metragem, 3ª edição Olhares do Mediterrâneo – Cinema no Feminino, 2016 Menção Honrosa Travessias, 3ª edição Olhares do Mediterrâneo – Cinema no Feminino, 2016
Hélène Crouzillat e Laetitia Tura
França | doc | 2014 | 70’

• QUINTA, 5 de Abril, 19h
LE GRAND BAIN • Prémio do Público para MELHOR FILME na 4ª edição dos Olhares do Mediterrâneo – Cinema no Feminino, 2017
Valérie Le Roy
França | fic | 2016 | 17′
+
LES BIGORNEAUX 
Alice Vial
França | fic | 2017 | 24′

• QUINTA, 1 de Março, 19h 
VILLA TOUMA 
Suha Arraf
fic | 2014 | 86′

• QUINTA, 1 de Fevereiro, 19h
THIS IS MY LAND • Prémio do Público para MELHOR FILME na 2ª edição dos Olhares do Mediterrâneo – Cinema no Feminino, 2015
Tamara Erde
França | doc | 2014 | 93’

• QUINTA, 7 de Dezembro, 19h
UN PAESE DI CALABRIA
Shu Aiello e Catherine Catella
França / Itália | doc | 2016 | 90′

 • QUINTA, 2 de Novembro, 19h
PIRATES OF SALÉ • Prémio do Público para MELHOR FILME na 3ª edição dos Olhares do Mediterrâneo – Cinema no Feminino, 2015
Rosa Rogers e Merième Addou
Marrocos / Inglaterra | doc | 2014 | 78’

OS OLHARES NO LARGO surgem duma parceria dos Olhares do Mediterrâneo com a Largo Residências.

Trata-se de uma programação mensal em que poderão (re) ver alguns dos filmes que nos foram mais queridos ao longo das quatro edições do Festival.

Todas as primeiras quintas-feiras do mês, às 19h, poderão assistir a um filme+debate, muito à semelhança dos formatos que nos habituámos a ter no Festival.

A programação será divulgada nesta página, no nosso Facebook e nos meios de comunicação da Largo Residências. Será criado um evento no Facebook para cada sessão.

Todos os filmes estão legendados em português e quando houver indicação nesse sentido, também em inglês. As sessões são gratuitas. Apareçam!

Programação até ao final do ano

2017

QUINTA, 2 de Novembro, 19h

Pirates of Salé

PIRATES OF SALÉ 
Rosa Rogers e Merième Addou 
Marrocos / Inglaterra | doc | 2014 | 78’

O Circo Shems’y está localizado junto a um dos bairros de lata mais pobres de Marrocos. Todos os anos, centenas de jovens acorrem a prestar audições, procurando um futuro no circo. Pirates of Salé conta a história de quatro destes jovens artistas numa dura viagem de transformação. É um filme que mostra o que é ser jovem num lugar com poucas oportunidades e pouco espaço para sonhar.

Convidados: A TENDA, associação cultural na área das artes circenses.

+ info AQUI

QUINTA, 7 de Dezembro, 19h

UN PAESE DI CALABRIA 
Shu Aiello e Catherine Catella
França/Itália | doc | 2016 | 90′

Como muitas aldeias no Sul de Itália, Riace sofre já há muito de um êxodo rural maciço em direcção às cidades do Norte e a países ricos. As casas em ruínas e os terrenos abandonados caracterizam a paisagem desta aldeia moribunda. Mas um dia, no Verão de 1998, um barco com 200 curdos encalha na praia e a aldeia ganha nova vida. Riace, um sítio de onde em tempos se escapava, atrai agora cada vez mais refugiados, homens que vêm de terras longínquas e inóspitas.

Convidados: um refugiado que “deu à costa” em Portugal e nos fala da sua experiência

+ info AQUI

 

UMA ORGANIZAÇÃO